Cursos de extensão

Titulo
Deficiência e capacitismo na educação escolar: por uma escolarização anticapacitista
Sigla
EDU-0371
Período de oferecimento
De até
Período de inscrições:
de
Professor responsável
Regis Henrique dos Reis Silva
Forma de oferecimento
A distância
Ementa

As pessoas com deficiência sofrem capacitismo ou ableism em inglês, que significa discriminação por motivo de deficiência, isso acontece quando a sociedade não acredita em suas capacidades, infantilizam e as submetem a opressão devido às suas corporalidades e características comportamentais. Essas práticas, obviamente foram construídas historicamente. Além do que, precisam ser compreendidas no âmbito do modo de produção capitalista. Mais recentemente, vários autores, nacionais e internacionais, tem chamado a atenção para o fato de que o capacitismo está associado (intersecionado) a outras formas de exclusões e opressões como machismo, sexismo e racismo já que é algo imposto pela sociedade e não atingem as expectativas do corpo normativo, o qual sofre desvantagem e restrições nas atividades sociais, tanto é que a intersecção da deficiência com as outras categorias de exclusão é de extrema importância para sua emancipação e subjetividade dos sujeitos, visto que essas categorias influenciariam na capacidade da agência dessas pessoas (GESSER, BOCK e LOPES, 2020). Nesse sentido, e compreendendo que as práticas capacitistas também estão presentes nas instituições educacionais (CROCHIK et. al., 2011), é que propomos este curso com o objetivo de debater - Afinal, há capacitismo na escola? Acaso sim, como ele se manifesta? Quais as possibilidades mediatas e imediatas para atuar no sentido da sua superação?.


Objetivo do curso

Geral: Oferecer subsídios para uma reflexão histórico-crítica sobre a produção do capacitismo na educação escolar. Específicos: 1. Analisar e discutir historicamente a produção de concepções sobre as deficiências e consequentemente das práticas capacitistas. 2. Problematizar as políticas de Educação Especial na perspectiva Inclusiva no enfrentamento do capacitismo na educação escolar. 3. Examinar e discutir algumas teorias de caráter emancipatórias que indicam caminhos para construção de projetos anticapacitistas (social, educacional e escolar).


Público Alvo

 Professores/as da Educação Básica e demais profissionais de áreas afins, preferencialmente da Região Metropolitana de Campinas (RMC) e Secretaria Municipal de Aparecida de Goiânia.


Oferecimento contínuo ?
Não
Carga horária
50