Faculdade de Educação sedia seminário interinstitucional sobre relações étnico-raciais no ensino superior

Atividade em parceria com UFSCar contou com presença de pesquisadores dos EUA e Colômbia

01/12/2017 | Atualizada 07/12/2017 - 10:59
  • Professora Joyce E. King, da Standford University e o professor Brian Williams, da Georgia State University. Foto: Robson Sampaio
  • Da esquerda para direita: Ana Cristina Cruz, Eliana Amaral, Gabriela Tebet e Bruno Ferreira. Foto: Robson Sampaio
  • Foto: Robson Sampaio
  • Foto: Robson Sampaio
  • Foto: Robson Sampaio
  • Foto: Robson Sampaio

Após decisão histórica do Conselho Universitário da Unicamp (CONSU) que aprovou cotas étnico-raciais e Vestibular Indígena na Universidade a partir de 2019, a Faculdade de Educação da Unicamp sediou, nesta sexta-feira (01), o seminário “Ensino, pesquisa e inovações curriculares para as relações étnico-raciais no Ensino Superior”.

O seminário é parte de diversas atividades promovidas pela UFSCar entre os dias 26 e 28 de novembro e dialoga com as temáticas propostas pelo VI Seminário Inovações Curriculares, evento organizado pelo Espaço de Ensino e Aprendizagem da Unicamp (EA²).

A abertura do evento contou com a presença de Gabriela Tebet, coordenadora-associada dos cursos de Licenciatura da FE, Ana Cristina Cruz, professora da UFSCar, Bruno Ferreira, representante do Núcleo de Consciência Negra da Unicamp,  Alexandrina Monteiro, coordenadora dos cursos de Licenciatura da FE, também representando a Direção da Faculdade, e de Eliana Amaral, pró-reitora de Graduação da Unicamp.

Para a professora Eliana, a Universidade passa por um momento de mudança e de reflexão profunda sobre as relações étnico-raciais. "A aprovação das cotas na Universidade foi uma grande lição sobre a tolerância das diferenças. É importante trabalhar a diferença como uma plataforma de crescimento e este tem sido o pensamento da Pró-Reitoria de Graduação", afirmou durante a mesa de abertura do evento.

Joyce E. King, professora da Standford University, e Brian Williams, professor da Georgia State University, que estudam Black Education nos Estados Unidos, foram os palestrantes da mesa “Ensino superior, currículo e Formação de Professores”. Na mesa da noite, foi a vez das professoras colombianas Adela Molina Andrade e Nádenka Beatriz Melo Brito, da Universidad Distrital Francisco José De Caldas, falarem sobre o ensino de ciências e diversidade cultural.

Acesse as galerias de imagens do evento.
Galeria 1
Galeria 2