Pro-Posições - v. 21, n. 3 (2010) Dossiê: Educação fronteiriça Brasil/Uruguay, línguas e sujeitos

O dossiê deste número, coordenado pelo Prof. Luis Behares, da Universidad de la República, em Montevidéu, apresenta um tema de alta relevância no momento atual: “Educação fronteiriça Brasil/Uruguai: línguas e sujeitos de fronteiras”. Os estudos de autores que se consagram a esse assunto trazem resultados de suas pesquisas empíricas e reflexões de grande interesse para as pessoas diretamente envolvidas nessa área e também para todos os que, de diferentes modos, abordam, em suas investigações, temas relativos à linguagem e suas variantes. Mais precisamente, esses textos contribuem, de forma substantiva, para a discussão de inúmeros problemas relativos à educação bilíngue em sua dimensão histórica, em seus aspectos políticos e sociais, bem como de questões que ultrapassam essa temática, como a própria noção — ou noções — de língua e “sentidos de identidade” e suas consequências para a educação.
Além desses, cinco artigos tratam de questões de avaliação, de currículos, e um discute a distinção entre formação e treinamento, privilegiando uma perspectiva filosófica e ergonômica. 
Na seção Diverso e Prosa, um texto de 1937, de Marcel Mauss, sobre a Sociologia da Infância é apresentado por M. Fournier, grande estudioso da obra desse famoso sociólogo que desenvolveu sua obra na primeira metade do século XX. 
E, por fim, duas resenhas apresentam livros recentes: Escola e destinos femininos, de Graziela Serroni Perosa, professora da ECA-USP; e Figuras do infantil. A psicanálise na vida cotidiana com as crianças, de Leandro de Lajonquière, professor da Faculdade de Educação, também da USP.


Luci Banks-Leite